terça-feira, 2 de março de 2010

A bailarina

Esta menina tão pequenina quer ser bailarina.

Não conhece nem dó nem ré

mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá

mas inclina com o corpo para cá e para lá.

Não conhece nem lá nem si mas fecha os olhos e sorri.

Roda, roda, roda com os bracinhos no ar

e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças, e também quer dormir como as outras crianças.


(Cecília Meireles)

3 comentários:

  1. Oi, Serena!
    Valeu pela visita e por seguir o blog. Espero que tenha gostado dos rabiscos. (:
    Beijo.
    *:

    ResponderExcluir
  2. Hoje ofereci as cores da minha paleta
    A uma amiga na sua dor
    Ouvi seu choro ao meu ouvido
    No fatalismo do desamor

    Hoje o sono acordou-me
    A nostalgia agitou suas asas cinzentas
    Esqueci no acordar o ultimo abraço
    E contei as nuvens que eram tantas


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  3. Que verso bonitinho. Cecília sabia das coisas. =D

    Obrigada pela visita. Senti sua falta mesmo. E sim, recebo-te com café, chá e muitos abraços. rs

    Um beijinho, querida. Volte, sim?

    ^^

    ResponderExcluir